domingo, 17 de janeiro de 2010

Haiti

Na organização das energias da Terra encontramos um reflexo da guerra nas estrelas.

Enquanto a maior parte da população dorme no profundo sono da ignorância e da falta de informação, submetendo-se a todo tipo de mídia que controla e suprime o livre pensar, chegamos à conclusão de que se sabe muito pouco das razões das misérias do mundo entre elas as guerras e, em especial, as manipulações políticas.

Estas manipulações vão além, muito além do conhecimento comum do homem.

O que realmente aconteceu no Haiti? Uma simples acomodação de placas tectônicas tendo o seu epicentro exatamente na capital? Ou seja, em um lugar absolutamente improvável? Teria realmente sido uma catástrofe natural?

Até que ponto o homem não poderia manipular as energias extraídas da própria “Natureza Mãe” em uma escala absurda?

É sabido que os EUA possuem uma tecnologia para enviar quantidades sem precedentes de energia na atmosfera da Terra (mais precisamente na ionosfera). Esta energia seria capaz de: modificar o clima em qualquer ponto da Terra provocando catástrofes climáticas em diferentes escalas e também a de produzir terremotos através de ressonância.

Há inúmeros vídeos (alguns merecem uma investigação profunda) e matérias sobre esta tecnologia intitulada HAARP (High Frequency Active Auroral Research Program) financiada e mantida pelo Pentágono e pela Força Aérea Americana. O que há por trás disso, afinal?

Os EUA jamais permitiram que o Haiti tivesse um governo realmente democrático e reformista (Leia esta matéria: http://www.viomundo.com.br/arquivo/voce-escreve/a-incapacitacao-do-haiti/
)

É hora de refletirmos profundamente e termos a coragem de conhecer o que paira pelo ar.

Portanto, não podemos cruzar os braços e, num ato de abstração, omitirmos o que um grupo de homens esteja fazendo com o nosso já tão cansado planeta.

Nossa mãe Gaia não pertence à meia dúzia de malfeitores multifacetados, aliás, por facetas bem conhecidas. Então o que nos resta?

Pedir ajuda em forma de oração as hierarquias só não basta! Temos que agir!

Em contrapartida a essas energias brutas e letais existe uma energia divinizada que se chama Amor e é o útero de todas as possibilidades de cura.

Como dizia Cristo: Orai e vigiai.

Sabemos o seu verdadeiro significado e o quanto há de força nesta energia Crística.

É hora de nos unirmos profundamente em um só coração!

Luz é Amor
Amor é Luz
Mara

C.G. Jung dizia:
Não posso provar que Deus existe, mas o meu trabalho provou empiricamente que o “padrão de Deus” existe em cada Homem, e que esse padrão (pattern) é a maior energia transformadora de que a vida é capaz de dispor ao indivíduo.
Encontrem esse padrão em você mesmo e a vida será transformada.

Fonte (Vídeo): http://www.channel4.com/news/

HAARP - Vídeos para consulta:

http://www.youtube.com/watch?v=urdPMJ-zUl8

http://www.youtube.com/watch?v=xhwYAu04HMo

http://www.youtube.com/user/fimdostemposnet#p/u/0/INY2-ZEsYHw

http://www.youtube.com/watch?v=MnRPZOUVhJ4


Share/Bookmark

sábado, 16 de janeiro de 2010

Exercícios com o Pai-Nosso dos Essênios

As Chaves para a aceitação do nosso destino

As Chaves para a aceitação do nosso destino se consagra a partir do momento em que ocorre uma tomada de consciência do nosso papel como humanos e o papel que designa a nossa natureza do estar no planeta aqui e agora.

Alguns cortes de natureza sentimental tais como: perdas, ou partidas de pessoas muito queridas, nos remete a outros planos de reconhecimento e identificação do nosso papel como destino, carma ou “caminho”.

Remete-nos a responsabilidades emergenciais, como as que o nosso planeta esta passando neste momento.

A doce ilusão de um fio dourado partido neste momento da minha vida trouxe-me um propósito e uma experiência inigualável. Assim, será um prazer supremo demonstrar o amor recebido pela doação deste “Ser” nossa única “Mãe genética e Espiritual do Caminho”.

A experiência produziu imagens, cores e sons bem significativos para o meu trabalho diário, com resultados surpreendentes.

Ao experienciar mantras budistas durante um período muito longo trouxe resultados muito produtivos. Ao mesclar mantras bem conhecidos como o Pai-Nosso em aramaico em conjunto com os mantras budistas conduziram-me a veredas de lugares distantes, porém, bem conhecidos de minha consciência cósmica.

É uma viagem, um descanso, uma paz pouco reconhecida quando estamos em estado de alerta.

É uma bem aventurança, uma identificação verdadeira do que somos e quem somos.

Jesus criou o Pai Nosso, para haver uma ligação direta com o todo, com o Universo Maior e com o nosso próprio “SER”. Ele ensinou o Pai-Nosso aos seus discípulos numa noite linda de lua cheia. Todos estavam sentados e Jesus ficou andando no meio deles, batendo palmas e praticando a meditação. Várias escolas contam, inclusive, que ele dançava.

Foram os primeiros apóstolos que divulgaram a oração pelo mundo através de uma tradição oral feita também por Judeus, rabinos e escolas de mistérios. Algumas escolas de meditadores acreditam que Jesus também se utilizava de Mantras curtos para auxiliar a iluminação de seus seguidores.

Uma das escolas que permaneceu muito tempo secreta chama-se “Abbayatta” e se utiliza o som “Abba”, que significa “Pai e Mãe”.

1. Técnica: ÁÁÁÁÁÁÁÁÁÁÁÁBÁÁÁÁÁÁÁÁÁÁÁÁ (entoe o som na expiração ou faça-o mentalmente).

2. Técnica: Fique em silêncio, escureça o ambiente, repita varias vezes a palavra Abba, Abba, Abba, Abba...

3. Técnica: Visualiza a “Mão do Criador” desenhando a palavra “Abba” no teu coração, sempre mentalizando ou entoando Aaaaaaabbbbbbbaaaaaaa. Outra técnica transmitida nas escolas “Essenicas” é que Jesus se utilizava do Mantra “Maranatta” ou “Maran/Atta” que é traduzido como: “Deus/Deusa venha”. Até os dias de hoje existe uma escola secular de Meditação chamada “Escola Maranata”.

4. Pratica: Mentalizando ou Vocalizando, sempre imaginando que esta sendo possuído por esta palavra, pelo lado direito e esquerdo, por cima e por baixo, ou seja, norteando os quatro pontos cardeais: “MarannnnnnAaaaaaataaaa”.

5. Tanto esse Mantra como o Pai-Nosso podem ser utilizados para purificação; é como banhar-se nas águas sagradas da Criação / Purificação.

6. Os Essênios tinham essa prática de sempre se banharem, como um gesto de profunda limpeza, a pensar que somos seres repetitivos, só assim então marcaremos nossa “Alma” com a força destas energias Mântricas.

Na escola Ortodoxa existe uma escola de Mantras chamada “Escola do Coração” que ensina a orar com o nome de Jesus; Ex.: Jesus, Jesus, Jesus, Jesus...
Acredito que o ideal seria a utilização desse nome em Hebraico, Grego, latim, etc., pois são línguas fortes.

Prática: Joshua, Joshua, Joshua, Joshua, Joshua...
“Joshua” significa “Filho” e era como se chamava Jesus – (Joshua Bem Josefh - o Filho de José). A escola de oração ocidental chamado “Terço Bizantino” que se originou de um peregrino Russo não identificado, que se utilizava do “Cikotki” (terço ou rosário) para meditar no nome de "Joshua".

Na pratica desses nomes, seja Jesus ou Joshua, é necessário que haja um conceito Hebraico chamado “Cavaná”, que pode ser traduzido como “fazer com o coração”, recolhido, meditativo, com atenção maior e não maneira mecânica. Todas estas práticas devem ser muito íntimas e profundas, pois Jesus meditava na palavra “Abba” como algo muito íntimo, muito próximo ao mesmo tempo e não como um Deus/Deusa impessoal, sentado em um trono distante no céu.

Há uma Meditação com o Pai-Nosso em Escolas de Alquimia, onde esta oração “alquimiza” realmente o praticante, que acalma e eleva muito nossa consciência si praticada com bastante concentração e entrega.

Prática:
Respira-se fundo e diz-se: “Pai”, solta-se o ar, sempre respirando a cada frase dizendo: “Nosso que estais nos céus”, respirando novamente; “Santificado seja”, respira: “O Vosso Nome”, continua respirando, e assim até o final da oração.
É uma técnica muito lenta e profunda.

Outra técnica muito utilizada por Santo Ignácio de Loyola era:

“Pai”: O que é Pai? O que é Mãe? O que é o grande Mistério?
“Nosso”: Por que é nosso? Será que sinto todos os seres vivos como irmãos?
“Reino”: O que é o Reino de Deus/Deusa?
“Céus”: Como se fazer o céu na terra? O que é o céu em mim? Há outros céus?
...E segue-se a prática meditando-se em todas as passagens.

A Oração do Pai-Nosso com Postura Corporal:

Há uma pratica com o Pai Nosso, da tradição “Abbayata” – da sociedade “Alka Abbaya” que é muito poderosa e envolve posturas corporais:

Primeiro exercício: Orando com o corpo o nome de “Abba-Abba” é o nome de Deus em aramaico usado por Jesus.
Faça uma purificação simbólica do corpo lavando as mãos ou tomando um banho completo.

Prepare o local para orar.

Fique de pé, com as mãos ao longo do corpo e feche os olhos.

Vocalize:

Aaaaaaabbbbaaaaaaa (de maneira calma e profunda) por 4 vezes – coloque as mãos nos joelhos, incline o corpo parta a frente e vocalize: Aaaaaaabbbbaaaaaaa (de maneira calma e profunda) 4 vezes. Ajoelhe, sente sobre os calcanhares e coloque as mãos nos joelhos e vocalize mais 4 vezes.

Deite com o rosto por terra, coloque as mãos ao lado das orelhas e diga mais 4 vezes.

Ajoelhe, sente sobre os calcanhares e coloque as mãos sobre os joelhos e repita o nome de Abba por 17 vezes. – Deite o rosto por terra, coloque as mãos ao lado das orelhas e fique em silêncio por alguns minutos. Pratique com os olhos fechados. Utilize um contador ou um terço de madeira de 33 contas.

Encerre dizendo Amém, Amém, Amém e Amém as quatro direções.

Luz é Amor
Amor é Luz
Mara
Imagem: http://www.yaneverknowwhat.net

Share/Bookmark

sexta-feira, 15 de janeiro de 2010

Zilda Arns: Dedicatória

As Bem-Aventuranças de Qumran:

Bem Aventurados aqueles que dizem a verdade com o coração puro, e não caluniam com suas línguas.

Bem-Aventurados aqueles que se apegam às Leis de Deus e não se apegam a caminhos perversos.

Bem-Aventurados aqueles que se regozijam nelas (Leis) e não indagam em caminhos loucos.

Bem-Aventurados aqueles que a buscam (Leis) com as mãos puras e não a solicitam com o coração traidor.

Bem-Aventurados os homens que alcançam a sabedoria, e aplicam seus corações em seus caminhos, e se obrigam à sua disciplina, e em suas correções sempre se contentam, e não a abandona nas aflições dos seus males, e no tempo da angustia não a despreza, e não a esquece nos dias de espanto, e na aflição de sua alma não a aborrece, pois sempre pensa nela. E em seu mau ela medita (a Lei), e durante toda a sua existência pensa nela, E põe perante seus olhos. Para não marchar pelos caminhos da maldade.

Fragmento traduzido dos rolos do Mar Morto
Fragmento 2, coluna II – 4 Q 525

Imagem: Interior da Caverna 4 em Qumran (Jerusalém) http://www.jerusalemperspective.com

Share/Bookmark

Zilda Arns: Compaixão

Compaixão é o decifrado nome para idealizar a imagem da Dra. Zilda Arns, vítima do terremoto que assolou o Haiti.

Ela doou a melhor das sementes, sementes de vida.


Mãe em todos os absolutos sentidos. Doou a si mesma como a Luz que se refrata em arco-íris.

Não deveríamos pedir um minuto de silêncio, mas horas ou dias; o tempo suficiente para refletirmos sobre as nossas vidas, as nossas atitudes e preceitos.


Atitudes que conhecemos tão bem e, ao mesmo tempo, não conhecemos, como também, não seguimos.

Bem Aventurados os puros de coração ...e de Atitudes!!!


Esta é a mais dura das verdades que nos corroe as entranhas do nosso cerne.

Por que ainda não somos capazes de sair do sono profundo do lodo em que dormimos. Metafórico?!

Luz é Amor
Amor é Luz
Mara




Share/Bookmark

Último discurso de Sathya Sai Baba: Eu sou o Eu, Eu sou o Atma


Data: 25/12/2009 – Ocasião: Natal – Local: Prasanthi Nilayam

O sol surge sereno e tranquilo.
Os dias se tornaram mais curtos,
E o vento frio está soprando.
(Poema em télugo)

Esta estação festiva traz prosperidade para todas as pessoas, enchendo os celeiros dos agricultores com os grãos recém-colhidos em abundância. Não somente os agricultores, mas as pessoas em geral, sentem-se felizes e usufruem desta época. As pessoas atribuem sua felicidade e prosperidade a Deus.

Onde está Deus? Deus está em toda parte. É onipresente: em vocês, acima, abaixo e ao seu redor. Não tem nome ou forma particular. Não nasce nem morre. Só quando há nascimento é que a morte existe também! Portanto, Deus não tem nascimento nem morte! Está presente em cada ser vivo como Atma Swarupa (Encarnação do Divino Atma). Atualmente, o ser humano é incapaz de compreender esse Atma Tattwa (Princípio do Atma).

Bharat (Índia) é uma terra sagrada. Foi o berço de muitas almas nobres e mulheres castas.
Esta terra de Bharat foi o berço de muitas mulheres nobres, como
Savitri, que trouxe o seu marido morto de volta à vida;
Chandramati, que apagou o fogo selvagem com o poder da verdade;
Sita, que provou sua castidade saindo incólume das chamas do fogo, e
Damayanti, que reduziu a cinzas um caçador perverso com o poder de sua castidade.
Esta terra de piedade e nobreza alcançou plenitude e prosperidade e
Tornou-se a mentora de todas as nações do mundo por causa dessas mulheres castas.
(Poema em télugo)

Sri Rama libertou Sita do cativeiro do demônio Ravana, que a confinou em Lanka durante dez meses. Rama tomou-a sob sua guarda após submetê-la ao teste do fogo. O deus do fogo apresentou-a diante de Rama, dizendo: “Ó Rama, Sita é uma grande mulher casta. É tão devotada ao seu esposo que não olhou sequer uma vez para o rosto de outro homem em todos esses dez meses”. Sita saiu ilesa das chamas, e o próprio deus do fogo atestou sua castidade.

Pode-se imaginar quão grande e nobre ela era! Pode haver alguém semelhante a essa mulher em algum outro país do mundo?

O país de Bharat (Índia) está situado no centro dos sete mares. Cada homem e mulher neste país devem conduzir-se como Purushotthama (homem nobre) e Pativratha (mulher casta) respectivamente. Não é de admirar-se que vários Avatares (encarnações) tenham nascido nesta terra sagrada. Grandes homens, mulheres e almas nobres podem nascer em qualquer país. Mas Avatares nascem somente no país de Bharat.

Atualmente, as pessoas aspiram por tudo neste mundo, exceto por Deus. As pessoas deixam até mesmo a sua pátria em busca de riquezas e dinheiro. Esse não é um desenvolvimento positivo, especialmente para os Bharatiyas (indianos) já que deles se espera que sobrepujem o desejo pelo dinheiro. Deus é Aquele que sempre dá; nunca tira. Deus nos deseja somente amor, nada mais. O país de Bharat é muito nobre e sagrado, mas as pessoas o estão deixando em busca de melhores oportunidades em outros lugares. Entretanto, aqueles de coração puro e imaculado são apegados a sua terra natal.

Tudo o que Deus espera de seus devotos é um coração puro e sagrado.
As pessoas atribuem a Deus diferentes nomes e formas. De fato, Deus é somente um. Está além de todos os nomes e formas. Assume um nome e uma forma de acordo com o desejo e a aspiração de um determinado devoto. Quando vocês O contemplam na forma de Jesus e desejam vê-lo nessa forma, manifesta-se a vocês como Jesus.

Sarvatah Panipadam Tat Sarvathokshi Siromukham, Sarvatah Sruthimalloke Sarvamavruthya Tishthati (com as mãos, pés, olhos, cabeça, boca e ouvidos permeando tudo, Ele permeia todo o universo). Deus está presente em cada ser humano e não em cada ser vivo. Daivam Manusha Rupena (Deus está na forma de um ser humano). Essa é a razão pela qual os valores humanos são considerados tão sagrados e importantes. Não é suficiente possuir simplesmente um corpo humano. Ao tomar a forma humana, deve-se também cultivar os valores humanos de Sathya (Verdade), Dharma (Retidão), Santhi (Paz), Prema (Amor) e Ahimsa (Não violência).

Vocês não devem mentir sob quaisquer circunstâncias. Se aderirem à Verdade, a Retidão a seguirá. Onde a Verdade e a Retidão andam juntas, haverá paz. Onde houver Paz, também haverá Amor. Não há espaço para a violência onde há Amor. Infelizmente, hoje em dia, existe violência em toda parte, devido à ausência de Amor entre as pessoas. Com quem quer que cruzem nestes dias, há intranquilidade e agitação. As pessoas praticam japa (repetição do Nome de Deus) e tapa (penitência, austeridades) para obter a paz, mas não há paz em lugar algum. Para onde se olha, só há pás, pás, pás!

É preciso desenvolver o Amor para alcançar a Paz. Antes de qualquer coisa, é preciso desenvolver o Amor. “Amor é Deus, Deus é Amor”. “Verdade é Deus, Deus é Verdade”. Verdade e Amor são realmente encarnação da Divindade. Apesar de Deus ser um, as pessoas atribuem-Lhe nomes diferentes como Rama, Krishna, Govinda e Narayana. Os diferentes nomes e formas atribuídas a Deus são produto da imaginação de poetas e pintores. Por exemplo, Ravi Varma pintou Deus em formas diferentes, baseado em sua imaginação. Mas Deus não pode ser limitado a um nome ou forma particular. Todos os nomes e formas são d’Ele e Ele também as transcende! Deus é imanente em todas as espécies vivas, inclusive nos seres humanos. Toda a criação é manifestação da Divindade.

Deus não tem desejos e aspirações. É altruísta. Tudo, no mundo externo, é reação, reflexo e ressonância de Seu ser interno. Isto é um tecido (mostrando um lenço). Falando estritamente, isto não é um tecido; é um conjunto de fios. Os fios tecidos em conjunto assumem a forma de um tecido. Igualmente, os pensamentos e desejos do ser humano formam a mente. Esses, por sua vez, expressam-se na forma de linguagem. As palavras levam à ação por intermédio dos órgãos dos sentidos. Nesse processo, os homens mantêm alguns maus pensamentos e sentimentos.

Por que Deus deu olhos ao ser humano? Somente para ver o bem. Igualmente, os ouvidos são para ouvir coisas boas e a língua para dizer boas palavras. As palavras que vocês dizem devem ser sempre doces e suaves, nunca ásperas. Logo, considerem sagrado cada membro e órgão do corpo que lhes foi dado por Deus e usem-no adequadamente. Um corpo tão sagrado deve ser dedicado a Deus e a ninguém mais. Deus lhes dá tudo que é necessário para a sua existência.

Devem, portanto, instalar Deus no altar do seu coração puro e sagrado.
Deus é onipresente. O Céu é Deus e a Terra é Deus. Todos os seres humanos são encarnações da Divindade. Deus é imanente em cada ser humano na forma da respiração (Soham). O homem deve compreender essa verdade. Só quando compreenderem a verdadeira natureza de Deus é que poderão considerar que adquiriram jnana (sabedoria).
Sabedoria não é mero conhecimento livresco. Algumas pessoas instruídas adquiriram vasto conhecimento a partir dos livros, mas qual delas é um jnani (alma liberta) no verdadeiro sentido?

Somente quem compreendeu que “Eu não sou o corpo, não sou a mente; sou Deus” é um verdadeiro jnani.

Quando dizem: “Este é o meu corpo”, quem são vocês? A quem se estão referindo? A expressão “meu corpo” dá a entender que estão separados do corpo. Quando dizem: “Esta é a minha mente”, a mente está separada de vocês. Da mesma forma, quando dizem: “Este é o meu buddhi (intelecto)”, significa que buddhi está separado de vocês. Em todas essas expressões, o que é esse “meu”? Que “meu” sou “eu”. Esse “eu” foi mencionado por Jesus Cristo como o ego e deve ser suprimido. Esse é o verdadeiro significado da cruz. É eliminar o ego.

Vocês são limitados por dois aspectos: o “eu” e o “meu”. Essa é a escravidão humana. Se puderem libertar-se desses dois vínculos, o que permanece são unicamente vocês. Agora estão com o seu corpo. Suponham que devem deixar o corpo amanhã. Neste momento, quem são vocês, onde estão vocês? Não sabem! O corpo é como uma vestimenta, um manto. Quando se livrarem dessa vestimenta, sua verdadeira natureza aparecerá.

A mesma verdade foi explicada nesta frase: “Aquele que você pensa que é, aquele que os outros pensam que você é e aquele que você realmente é”. Essa é a verdadeira natureza do ser humano.

Quando alguém pergunta quem são vocês, costumam responder: “Eu sou fulano de tal”. Dirão seu nome. Na realidade, esse nome lhes foi dado por seus pais, e não por Deus, quando vocês nasceram.

Suponham que perguntem a Deus: “Quem é você?” Ele responderá: “Aham Brahmasmi (Eu sou Brahman). Cada indivíduo deve lembrar-se: “Eu sou Brahman, não tenho outro nome”. Se alguém perguntar: “Qual é o seu nome?”, devem responder, “Meu nome é Brahman”. Se estiverem constantemente conscientes de sua verdadeira natureza, isto é Atma Tattwa. Não precisarão contemplar em algo mais.

Sempre que encontram um amigo ou um conhecido, cumprimentam-no com um Namaskar. Isso significa que, de fato, estão reverenciando a Divindade imanente na pessoa. Portanto, não abriguem o sentimento de “eu”, “eu”, “eu”. Todos esses corpos físicos são como papeis desempenhados em um drama. Eles se modificam. O próprio mundo é um drama cósmico.

Lembrem-se, continuamente, de que estão representando seu papel no drama cósmico e de que sua natureza verdadeira é que você é uma Encarnação do Divino Ser (Atma Swarupa). Vocês têm alguma dúvida a esse respeito? (Swami perguntou, virando-se para a audiência...). Se conservarem qualquer dúvida, ficarão confusos.

Infelizmente, hoje em dia, as pessoas desconhecem sua verdadeira natureza. Como, então, poderão saber sobre Deus? Portanto, em primeiro lugar, perguntem a si mesmos: “Quem sou eu? Quem sou eu?” Vocês compreenderão que “Eu sou Eu, sou o Atma”, “Eu sou Eu, sou o Atma”, “Eu sou Eu, sou o Atma”. Caso se esqueçam desse Eu Divino, o que permanece é apenas o ego. Portanto, sejam divinos.

Rama, Krishna, Govinda etc. são somente referências à Divindade na linguagem comum. Uma pessoa é chamada por vários nomes, com base no relacionamento do nível físico. Uma pessoa refere-se a ela dizendo: “Ele é meu genro”. Outra diz: “Ele é meu filho”. Uma terceira pessoa diz, “Ele é meu irmão”. Assim, as ligações acontecem na medida em que os relacionamentos aumentam. De onde surgem essas ligações? Tudo é produto de vocês mesmos.

Vocês casam-se com uma moça e dizem: “Ela é minha esposa”. Mas, antes do casamento, quem era ela? Vocês não sabem. Depois de alguns anos, quando ela afinal partir definitivamente, nada saberão sobre ela. Portanto, não sabem quem era ela antes do casamento ou para onde foi após sua partida. A relação do casal existe somente no intervalo entre esses fatos.

Portanto, não se aflijam sobre o passado. O passado é passado, e o futuro é incerto. Vocês não sabem, não têm conhecimento, seja do passado ou do futuro; estão conscientes somente do presente. Logo, vivam no presente. Essa é a única realidade.
(Bhagawan concluiu Seu discurso com o bhajan, “Hari bhajan bina sukha santhi nahin…)

Tradução e revisão da Coordenação de Publicação
Conselho Central do Brasil
Fonte: http://www.sathyasai.org/discour/2009/d091225.html

Fonte: Organização Sri Sathya Sai do Brasil www.sathyasai.org.br
Imagem de Sathya Sai Baba: http://namaha.wordpress.com/

Share/Bookmark

quarta-feira, 13 de janeiro de 2010

Zilda Arns: Uma perda irreparável

video

Zilda Arns foi médica pediatra e sanitarista, foi fundadora da Pastoral da Criança e da Pastoral da Pessoa Idosa. Esteve presente em todos os estados do Brasil e em mais 20 países.

A Pastoral da Criança tem mais de 240 mil voluntários capacitados atuando em 40.853 mil comunidades em 4.016 municípios.

Dra. Zilda acompanhou quase 95 mil gestantes e mais de 1,6 milhão de crianças pobres menores de seis anos.

Pelo seu trabalho na área social, Zilda Arns recebeu condecorações tais como:

Woodrow Wilson, da Woodrow Wilson Fundation, em 2007; o Opus Prize, da Opus Prize Foundation (EUA), pelo inovador programa de saúde pública que ajuda a milhares de famílias carentes, em 2006; Heroína da Saúde Pública das Américas (OPAS/2002);

Personalidade Brasileira de Destaque no Trabalho em Prol da Saúde da Criança (Unicef/1988); Prêmio Humanitário (Lions Club Internacional/1997); entre outros prêmios.

Partiu aos 75 anos em um dos países mais miseráveis da Terra.

Uma mulher corajosa que perdeu a vida na frente de combate contra a miséria e as consequências que ela traz. Fará muita falta aos mais pobres, humildes e desamparados. Aos mais ricos que detêm o poder no mundo não fará diferença.

Deus em sua infinita bondade e justiça lhe dará um lugar privilegiado.

Luz é Amor
Amor é Luz
Mara

Fonte de Dados: O Estado de São Paulo e http://www.gaudiumpress.org/
Vídeo: http://www.youtube.com/watch?v=6ahujqkCWVk&feature=player_embedded


Share/Bookmark