sexta-feira, 11 de junho de 2010

Rachel Corrie: A Menina e o seu Sonho


Postado por: Universae
O navio irlandês que levava ajuda humanitária a Gaza e foi interceptado pelas forças armadas israelenses foi batizado de Rachel Corrie; porém, quem foi Rachel Corrie?

Pouco se sabe sobre essa jovem pacifista cuja coragem e caráter são admiráveis.

Essa escassez de informações sobre Rachel talvez se deva ao fato de que ela era um tipo de pessoa que incomoda aos opressores, pois arrisca a sua própria vida em defesa dos oprimidos.

Este amor ao próximo assusta ao poder.

A foto acima é emblemática: um olhar sério, firme, seco, direto em seus propósitos e ao mesmo tempo terno.

Rachel Aliene Corrie nasceu em 10 de abril de 1979 na cidade de Olympia no estado de Washington. Rachel era universitária e pertencia ao Movimento pela Justiça e Paz.

Ela organizou iniciativas em memória das vítimas do onze de setembro (por ocasião do aniversário do atentado) e também da guerra no Afeganistão.

Posteriormente, Rachel viajou para Israel onde se juntou a um grupo chamado Movimento Internacional de Solidariedade.

Esta associação era formada por uma rede de ativistas pacifístas de várias nacionalidades que tentavam agir como escudo humano contra as atrocidades cometidas por Sharon nos territórios ocupados.

Uma dessas ações se ocupava de tentar bloquear, sempre de forma pacífica, os temíveis Buldozers (Escavadeira blindada tipo tanque usada por Israel para derrubar as casas de famílias palestinas. Mesmo com elas vivas lá dentro!).

Em 16 de Março de 2003, em uma ação em Rafah (fronteira de Gaza), Rachel encontrava-se juntamente com seus amigos para se opor às demolições usando apenas um megafone.

Foi quando um Buldozer jogou terra sobre ela e avançou esmagando o seu corpo e a matando na hora. Rachel subestimou o barbarismo do inimigo.

O comandante da unidade que procedia a derrubada das casas ordenou aos soldados que dirigiam os Buldozers "QUE PASSASSEM POR CIMA DE QUEM ESTIVESSE NO CAMINHO".

Estas ordens partiram diretamente de Jerusalém (fato comprovado por posterior testemunho do capitão Uri Avner, que pediu baixa do exército israelense após o caso).

E foi o que aconteceu:
Rachel, postada à frente da escavadeira numa tentativa desesperada de detê-la; morreu, esmagada pelo monstro mecânico que avançou sem piedade, não dando a menor chance dela escapar a tempo.

Relatos de testemunhas:

“Ela estava sentada na trajetória de um Buldozer, o condutor a viu e mesmo assim passou sobre ela” declarou Joseph Smith, militante pacifista americano.

“A escavadeira jogou-lhe terra por cima e depois a esmagou” disse Nicholas Dure, outro companheiro.

O exército de Israel e seus apologistas cuidaram de abafar o caso, que foi distorcido pela mídia local e pela dos EUA, tratando o crime como "imprudência de uma irresponsável defendendo um ninho de terroristas".

Mas a família e vizinhos do agricultor Hassan Din Daud, cuja casa foi afinal derrubada, e os demais ativistas presentes trataram de divulgar a verdade.

Este foi um assassinato a sangue-frio, mostrando a que ponto chegam os opressores do povo palestino mesmo contra opositores desarmados (Rachel portava apenas um megafone) e não-violentos.

O próprio governo americano se omitiu, e hoje a família Corrie busca justiça para sua filha até nas cortes internacionais de Direitos Humanos, numa tentativa incansável de obter justiça.

Rachel Corrie, de apenas 23 anos, perdeu a vida quando defendia com o seu próprio corpo as suas idéias, o seu ideal de justiça, o direito e a liberdade aos oprimidos e também o direito dos cidadãos palestinos de terem um pouco de terra.

As autoridades de Israel deram diferentes versões do acontecido, todas elas desmentindo a documentação fotográfica e os testemunhos.

Rachel e os seus companheiros denunciaram que dia após dia dezenas de casas eram destruídas na fronteira de Gaza (um total de 3.000), e que os bombardeios destruíram os poços de água que irrigavam os campos de refugiados de Rafah, não sendo possível repará-los pelos trabalhadores palestinos, pois estes estariam expostos às balas dos soldados de Israel.

Aos 10 anos de idade, Rachel deu uma pequena amostra do espírito extraordinário que ela possuía.

Veja o vídeo abaixo:

video

“Eu estou aqui por outras crianças
Eu estou aqui porque eu me importo!
Eu estou aqui porque as crianças em toda parte do mundo estão sofrendo e porque quarenta mil pessoas morrem a cada dia de fome.
Eu estou aqui porque essas pessoas são em sua maior parte de crianças.
Nós temos que entender que existem pobres e eles estão a nossa volta e nós os estamos ignorando.
Nós temos que entender que estas mortes são evitáveis.
Nós temos que entender que os povos nos países do terceiro mundo pensam, se importam, sorriem e choram como nós.
Nós temos que entender que eles sonham os nossos sonhos e nós sonhamos os deles.
Nós temos que entender que eles são como nós. Nós somos como eles.
Meu sonho é que não haja mais fome no ano 2000.
Meu sonho é salvar estas quarenta mil pessoas que morrem todos os dias.
Meu sonho pode ser verdadeiro se todos nós olharmos para o futuro e levarmos uma luz para brilhar lá. Se ignorarmos a fome, essa luz se apagará.”

O governo de Israel tem sistematicamente cometido crimes hediondos contra a pessoa humana sob o olhar complacente da ONU, dos países europeus e dos Estados Unidos. Por quê?

É bom lembrar aos que chamam de anti-semitas todos aqueles que criticam e acusam o governo e a política de Israel de criminosa, que pessoas corajosas e humanitárias como Rachel Corrie salvaram milhares de judeus da morte durante a 2ª guerra.

Aquela mesma morte nefasta, brutal, hedionda e covarde que foi aplicada pelos nazistas contra o povo judeu; hoje é imposta pelo governo israelense ao povo palestino.

Pessoas de diversas nacionalidades, religiões, histórias e culturas se importam com a vida humana e lutam em favor dos oprimidos.

Rachel Corrie era uma jovem que se importava e os seus sonhos eram de um incondicional amor ao próximo!

Luz é Amor
Amor é Luz
Mara


Vídeos relacionados:

Sites relacionados a Rachel Corrie:

As informações e o texto foram extraídos em sua maior parte nos sites:

Imagens:

Share/Bookmark

Nenhum comentário:

Postar um comentário

Olá, muito obrigada pelo seu comentário. Ele sempre será muito bem-vindo, porém como regra, utilizo a moderação em meu blog; portanto, caso o seu comentário não apareça de imediato, fique tranquilo, pois será inserido posteriormente.
Um Abraço!
Luz é Amor
Amor é Luz
Mara